Slides e Links de Todas as postagens

07 julho, 2012

Os perigos da autoflagelo


   Andei procurando algum lugar que falasse sobre os perigos do autoflagelo, mas para minha enorme surpresa, não encontrei, mas eles existem.     Claro que um pregadorzinho nos mamilos ou em outras regiões, uns pinguinhos de vela, um auto bondage onde os membros superiores fiquem livres e coisa que o valha não faz mal algum.  
   Os perigos podem variar de lesões internas, de passar por um grande vexame, até mesmo o óbito.  
   Quem sabe bem aplicar um spank, sabe que tem áreas apropriadas para isto, sabe que tem que haver controle na força empregada para diferentes regiões e sabe que se estas regras não forem observadas há o risco de haver o rompimento de um órgão interno com hemorragia imperceptível nos primeiros dias, ou desenvolver um tumor nas mamas, a fissura de um osso.   O mesmo se dá com agulhas, para fazer é preciso conhecer a anatomia e fisiologia humana, brincadeiras com gelo por tempo prolongado, principalmente nos orifícios pode causar a morte do tecido, fireplay é também muito sério.
   Os perigos não ficam apenas do campo das lesões, a pessoa pode passar por um constrangimento inesperado, pois se não, vou fazer um pequeno relato de algo que tomei conhecimento sem citar nomes:

   Uma submissa no auge dos devaneios pelo tempo extenso sem Dono e pela falta absoluta de coragem de pedir a uma outra amiga sub que a ajudasse, sentou-se nua no sofá em seu apartamento e passou a olhar nostalgicamente para um par de algemas, resolveu brincar, então se plugou, se amordaçou com uma gag Ball e prendeu os pulsos com a algema as costas (ela estava habituada a se prender e se soltar sozinha), mas neste dia a chave escorregou na fresta do sofá e ela começou a ficar nervosa, foi então que lembrou da panela no fogo.   Deixou a chave para depois e foi tentar apagar o fogo, mas como?   No esforço de girar o botão do fogão ela esbarrou no pano de copa que estava pendurado na parede ao lado e acima do fogão, ele caiu e não custou a pegar fogo, o que chamou a atenção dos vizinhos, o fogo logo se apagou por falta de mais material combustível, mas havia fumaça, e ela não podia falar de lá de dentro que estava tudo bem com a gag na boca, os grunhidos pareciam sons de quem precisava de ajuda e o sindico chamado pelos moradores arrombou a porta com toda aquela plateia atrás dele.   Foi um vexame enorme, ela ali de plug com rabinho, de gag e de algemas na frente de seus vizinhos de andar e do sindico.
   Outro perigo e este muito maior, é a auto asfixia, quem conhece bem mais profundamente este assunto, sabe que houve inclusive pessoas famosas que no auge da empolgação, do tesão, acabou por morrer asfixiada com sacos plásticos, ou outra coisa que os sufocasse.
   Por esta razão e vendo que não há muito falando sobre isto, resolvi escrever, pois tudo o que encontrei foi matérias ensinando a auto bondage, ensinando autoflagelo, mas nada que faça um alerta sério dos riscos de se auto torturar.
   Não estou dizendo que não se possa fazer, mas alertando que é preciso ter muito cuidado, muito mais cuidado do que quando tem alguém fazendo, afinal, haverá alguém para resolver os problemas se algo não der certo.
   Pessoalmente, não aprecio autoflagelo, não passo de climps nos mamilos quando estou sozinha, porque felizmente não aprecio mais que isto feito por eu mesma.

   Sobre fazer autoflagelação diante da cam para um "dominador" que é apenas virtual, tipo dom cam, pessoalmente eu acho o fim, se for algo perigoso então...   Acontecendo algo ele não tem como fazer nada, ainda que quisesse, voce está lascada e sozinha.

   De toda forma, esta é a minha opinião.

OBS.: Falo do ponto de vista da mulher submissa, mas vale para ambos os sexos.

Por Dorei Fobofílica.

4 comentários:

Candy Man disse...

beijos doces querida...visite tb meu novo blog...

Sophysticada disse...

Dorei,

Amei a postagem, texto bem diferenciado acho q nunca li nada sobre isso mesmo.

Bjk@s

O caminho de perséfone core disse...

Hummm, confesso que não sou muito fã de me autoflagelar, o máximo que fiz e foi há muito tempo atrás, foi pegar um cinto e lascar na minha perna, para ver o que eu sentia...kkkkkkkkkkkkkkk. Adolescente já com idéias masoquistas na mente!!!

Mas deixando as brincadeiras de lado, é preciso mesmo muita cautela ao se utilizar de alguns artifícios, pois estando sozinha, quem vai lhe socorrer se algo sair errado? Mas acredito que a maioria que faz isso, deixa uma "brecha" que possibilite algum movimento.

O que pode ser uma questão relativamente simples quando estamos acompanhadas, pode ser algo complexo, se está sozinha.
Realmente, é algo a se refletir...

Beijos!
{perséfone core}_DC

LadySiri disse...

O que não faz a carência não é mesmo?! Um perigo!...Parabéns pelo texto querida Dorei, como sempre muito bem escrito e pertinente.

Beijo carinhoso.

Seguidores

AVISO:

As imagens contidas neste blog foram tiradas de sites de busca, estando disponíveis livremente na rede, sem fazer referencia aos autores. Entretamto sem o intuito de usar material de terceiros indevidamente, digo que, caso voce seja autor de alguma delas e deseje que a retire, deixe um comentário e a retirarei ou colocarei os devidos créditos se for da tua vontade.

Atenciosamente;
Dorei Fobofílica.