Slides e Links de Todas as postagens

09 fevereiro, 2012

Traição e BDSM, pode?





   Traição é um assunto polêmico seja dentro ou fora do BDSM, eu penso que haja uma sutil diferença entre fidelidade e lealdade; vejo a fidelidade como algo ultrapassado, inventado pela igreja e por homens que desejavam controlar o povo com suas regras que ferem a natureza humana, somos primatas polígamos.   É claro, somos também seres pensantes e não temos que ser promíscuos, nem ferir os sentimentos dos outros, por isto existe uma coisa chamada acordo e dentro do BDSM isto é intensamente praticado, feito previamente e várias vezes ao longo da relação, as pessoas sabem e concordam com o que virá a acontecer, não se magoam por causa disto.   Vejo a lealdade, ou a falta dela em todo seguimento da vida, não só na relação homem/mulher, penso que quebrar a confiança, o que foi acordado com palavras ou que tenha sido subentendido, é trair, não importa se é dentro da família, do trabalho, com amigos ou com parceiros sexuais, mas o que foi acertado antes e se está de acordo, seja lá o que for, claro que respeitando a integridade física e mental do outro não pode ser considerado traição.
   Obviamente que já se pode adivinhar que numa relação de Dominação/submissão só uma das partes tem este direito de se relacionar com terceiros, isto faz parte do acordo, mas se pensarmos que dentro do BDSM existe uma coisa chamada empréstimo de escravos, podemos ver que no frigir dos ovos não é exatamente assim, claro que tudo tem que ser consensual, acordado antes.   Pessoalmente eu dou outro nome a relações com desconhecidos ou mesmo pessoas que foram escolhidas por outra pessoa que não seja o submisso, para mim é uma forma de usar o BDSM como desculpa para a prostituição, mas esta é minha opinião, não confere com a de muitas pessoas no meio, entretanto sei que tem muitos pensam como eu.  Existem casos absurdos e não entendo bem o que leva ao submisso a aceitar tais coisas, como ser colocado em uma casa de prostituição real e ser usado para benefício financeiro de seu "dono" ou de quem ele aprouver, para mim isto, esta coisinha insignificante e doente, não é dono de nada, é um cafetão que usa o BDSM para justificar suas safadezas; e este é só um pequeno exemplo de abuso, onde o outro já foi completamente dominado psicologicamente, se sentindo inferior, um coisa nenhuma, ou mesmo, gosta de se prostituir de fato e de verdade.
   Vejo o BDSM com duas vertentes, a dos que o praticam com amor envolvido (meu caso) e os que fazem questão de que não haja sentimentos envolvidos, se é que isto é possível.   Não consigo ver uma relação tão intensa quanto sadomasoquismo e dominação psicológica sem haver sentimentos...   É teatro? Encenação pura?   Não, para mim não, tem que haver amor, paixão, para fazer bater forte o coração.   Sem falar que em muitos momentos a vida da pessoa estará nas mãos do Dominante e para isto tem de haver muita confiança.   Voce confiaria a sua vida a quem você não ama e que você não pense que te ama?   Quando digo confiar a vida, é no sentido de que o submisso muitas vezes estará amarrado, algemado, a mercê das vontades do outro; que as brincadeiras podem ser perigosas, como por exemplo o aparentemente inocente gelo, a pessoa lá, amarrada e amordaçada e o gelo dentro de seus orifícios por tempo demais, pode passar de prazer para morte dos tecidos e causar problemas graves, isto por falta de pesquisa e conhecimento antes de praticar os jogos chamados de adultos não por acaso.   Aí o sujeito diz que tem experiencia, que estudou muito o iceplay ou seja lá o que for e é tudo mentira, isto não é uma traição?   Não é uma traição grave onde quem vai pagar as consequências é voce que confiou?
   Então a traição em nenhum sentido tem espaço numa relação BDSM, pois se isto acontece quebra algo arduamente conquistado, a confiança, sem a qual não pode haver entrega absoluta, para que sejam feitas as brincadeiras de adultos.   Voce se deixaria amarrar por alguém que você não tenha plena confiança?   Deixaria alguém que você não tenha certeza que não vai ter ferir de verdade, nada além do que você permite fosse te açoitar?

   No BDSM ter várias escravas é natural para muitos, é aceito ou não, mas é uma opção que se discute abertamente, sem as neuras do mundo baunilha (que não pertence ao BDSM), não há a necessidade de mentir, de forma que tudo é dito francamente, tudo é exposto, os sentimentos mais secretos são explanados, os desejos mais incomuns são discutidos, dessa forma não há espaço para traição, se ela surgir toda relação foi comprometida, pois a confiança é a base junto a tríade SSC.  São, Seguro (confiável) e Consensual.
   A mesquinhez da nossa sociedade de pregar a poligamia como algo que chama de traição, desde os aparentemente inofensivos livros de contos de fadas que moldam a nossa personalidade desde a idade mais tenra é o que nos faz ter pensamentos retrógrados nos dias de hoje, mas se entendermos que trair é sinônimo de mentira e não de infidelidade, veremos que exigir do outro um comportamento de que ele e nem nós somos capazes de ter é pedir para ser enganado.  A partir do momento em que se tenha a liberdade de expor todos os desejos para o (a) parceiro (a), a relação fica mais sólida, a cumplicidade é de fato estabelecida, tudo se torna mais leve e feliz.   Infeliz foi aquele que inventou a palavra corno e deu a ela um sentido pejorativo, não tinha nenhum conhecimento da natureza humana e era um verdadeiro hipócrita que não admitia suas próprias atitudes e deixava de cuidar de si para julgar a vida dos outros, provavelmente era um e nunca soube disso, pois estava ocupado demais tomando conta da vida alheia.

   Seja qual for o estilo de relação que se escolha viver, o que vale mesmo é ter prazer e ser feliz, esquecendo os outros, das regras dos outros, o que os outros vão pensar, os outros não tem nada haver com a tua vida e nem precisam saber da tua vida íntima.   Não se importe com o que os outros dizem sobre isto ou aquilo, siga a sua vida se ela te faz feliz, se não faz, mude-a a tua vontade.

Dorei.








   Obrigada a todos pelo carinho e paciencia com minha ausência!

4 comentários:

aldrey disse...

Muito bom teu texto querida!Eu acho que pra todo relacionamento precisa ter confiança,seja dentro ou fora do BDSM.Confiança trás segurança!E depois vem a felicidade rsrsrs
bjsss

Ruivah_de_Joelhos® disse...

Adorei o texto, vou reler depois com mais calma, Dorei, fiquei curiosa em relação ao myfreecopyright, se eu me cadastrar para ter direitos autorais no meu blog, caso eu descumpra alguma regra do termo deles, meu blog será tirado do ar? ou eu entendi errado rss.. se puder responder, desculpe colocar esta pergunta aqui, não achei outra forma de comunicação com vc ... se quiser responder no meu e-mail é tatiruivah@live.com, pode apagar este post, pois eu estou te seguindo , dái eu posto apenas o elogio ao seu texto depois tá bom ?! beijos ...

Amanda disse...

Quando comecei a ler um pouco mais sobre sexualidade e comportamento, encontrei um texto de uma socióloga sobre ciúmes e traição. Após conversas com muitos casais diversos, que se consideravam monogâmicos, que praticavam swing, em que um já tinha traído o outro, ela chegou a conclusão que a ideia de traição vinha do fato do parceiro esconder do outro parte de sua vida. E você exemplificou muito bem isso no seu texto!
Adorei!!

tania-cbf43 disse...

isso esclarece muita coisa que não compreendia
muito bom o texto querida

Seguidores

AVISO:

As imagens contidas neste blog foram tiradas de sites de busca, estando disponíveis livremente na rede, sem fazer referencia aos autores. Entretamto sem o intuito de usar material de terceiros indevidamente, digo que, caso voce seja autor de alguma delas e deseje que a retire, deixe um comentário e a retirarei ou colocarei os devidos créditos se for da tua vontade.

Atenciosamente;
Dorei Fobofílica.