Slides e Links de Todas as postagens

25 abril, 2011

Exibicionismo


Exibicionismo

   O que tem haver o exibicionismo erótico com BDSM?   Muita coisa; basta ver os blogs e fetlife que exibem intimidades de suas relações.   E que me desculpem os baunilhas, mas exibicionismo é da natureza humana também, alguns mais que os outros, não fosse assim não existiria praia de nudismo e campos naturalistas.   Claro, nem todos apreciam; e é aí que entra o sadismo em humilhar o submisso em uma exposição pública ou não; sim, porque a exposição pode ser apenas para o Dono, reservado, sob o nome de inspeção.    Pode ser bastante constrangedor para alguns, se exporem, mesmo que apenas para o Dono, para ser examinado.   A exposição é sim uma forma de dominação, com forte domínio psicológico.
   A exposição pode ser sutil ou extravagante, pode ficar apenas no incomodo do submisso (a), de, por exemplo, saber que sob a saia está sem calcinha e a preocupação de isto ser ou não notado pelos transeuntes, mas pode ser mais evidente, como o uso de uma coleira discreta, com um triskele e até escandalosa.  
   O problema está quando a exibição extravagante acontece num ambiente baunilha, em público baunilha e isto pode vir a prejudicar a vida social e familiar de ambos, principalmente do (a) submisso (a).

   Obviamente, nem todos os submissos sentem-se constrangidos com a humilhação, muitos sentem orgulho em chamar atenção e até em escandalizar os que nada tem haver com BDSM, alguns se expõem até por iniciativa própria, contudo existem os dons e dommes que não respeitam os limites do submisso, que oferecem, ainda que em ambiente fechado, o seu escravo (a) a uso de muitos sem aviso prévio, alguns gostam disto, mas nem todos (para mim isto de multiplicidade, de sexo com qualquer um que que o "dono" queira, já tem outro nome, já deixa de ser BDSM para ser promiscuidade),  A exposição pode ser traumática, dependendo do grau e do quanto o botton pode suportar ser humilhado, as conseqüências psicológicas podem ser sérias, mas para evitar isto, existe o safeword, que deve ser usado quando a experiência do Top não é suficiente para observar que o botton chegou ao limite e que é hora de mudar de estratégia.
   Alguns Tops gostam de se expor também, geralmente em ambiente propício, atitude mais comum em dominadoras do que nos dominadores.   Fazem isto usando vestuário que expõem partes intimas de seus corpos, fazendo sexo em público, etc...   O simples ato de estar na cena, impondo ao escravo (a) a exposição, já é uma exposição e “promoção” de seu nome no meio BSDM.   Válido, dependendo de como é feito, pois não se pode esquecer do SSC.  
   Freud disse que exibicionismo é a patologia que tem como perversão exibir os órgãos sexuais, mas como a medicina moderna já reviu muito do que Freud dizia, desconsidero o que ele falou, ao menos em parte, pois para a medicina moderna, o que é feito com consensualidade, com quem possa responder por si mesmo, não afeta a saúde física ou psicológica e não é a única forma de sentir prazer, não é patologia.
   Para quem curte exibicionismo, seja como humilhação , promoção ou prazer pessoal, que aproveitem, só o que eu gostaria, é que isto fosse feito com elegância e bom senso, mas esta é apenas a minha opinião.

Por Dorei.

17 abril, 2011

Masoquistas e sádicos patológicos



Masoquistas e sádicos patológicos

   Muito se fala hoje em dia de regras de comportamento, de liturgias, coisas que foi instituída por não sei quem, que ficou para trás.    O sadismo e o masoquismo fazem parte da natureza do ser humano, de todo ser humano, em maiores ou menores doses, isto aparece o tempo todo.   Quem nunca sentiu prazer em fazer alguma ‘maldadezinha’ ou sofrer alguma espécie de dominação?    Sexualmente inclusive, pois aquelas mordidinhas nos lábios e puxões de cabelos, mesmo de leve, denotam isto, um que tem prazer em fazer e outro de receber.  
   Claro que algumas regras são necessárias, mas observando a tríade SSC, São, Seguro e Consensual, as outras regras são moldadas de acordo com o par, ou seja lá quantos fizerem parte do jogo.   Observando que o Top faz as regras e o botton segue, ou não, dependendo do quanto isto seja bom para ele.   Ficou parecendo que o botton tem algum controle?   Claro que tem, ele tem controle na hora de acordar o que será praticado e a intensidade deve ser observada, também tem controle caso ele não esteja mais suportando e faça uso da safeword (palavra de segurança escolhida antes das sessões).
   Agora é que vem a questão; tem muito ‘dominador’ que se acha o Todo Poderoso, que enfia na cabeça do submisso que não precisa de palavra de segurança, que nunca errou, que sabe o que faz.   Quem nesta vida nunca errou e não vai continuar errando?   Do mesmo modo vejo pessoas afirmarem que querem submissas sem limites e outras se dizendo sem limites.   Isto não existe, todo tem limites, se não tiver é um sinal de doença, de patologia ninguém pode querem ser torturado até o flagelo total, até morrer, se quer, é doente e certamente um perigo para qualquer dominador sério, principalmente se este tiver pouca experiência.
   Alguns dominadores, do alto de sua insanidade; e não se iludam, pois são muito inteligentes, controlam as masoquistas, se ela for frágil psicologicamente, se for doente, ao ponto de não raciocinar sobre o que está vivendo com lucidez, será um instrumento de uso com diversas finalidades e para se mostrar como O Dominador da hora, o sujeito a usa como autopromoção onde todos veem a o grau de loucura, menos eles.   O risco de vida está sempre eminente e é tratado como algo normal.
 Os jogos BDSM podem ser muito perigosos se praticados sem conhecimento, que só vem de estudos e praticas a principio pequenas, asfixia e eletro estimulação são exemplos.  O limite de uns é diferente de outros, e a morte pode acontecer em poucos instantes, onde a brincadeira nunca mais terá graça.   Mas o masoquista doentio não vai conseguir se ver como frágil em nada, ele acha que é super, não demonstra sinais de que seus limites foram atingidos e é aí que tudo se dana.   A asfixia exagerada pode até não matar, mas vai causar danos irreversíveis ao cérebro, eletroestimilação mata em poucos instantes quem tem problemas cardíacos e não sabe disto, ou sabe e oculta do ‘dono’.
   Os sádicos doetios costumam serem pessoas agradáveis, embora nem sempre, existem os muito agressivos, mas que aprenderão um dia que ‘não se apanha moscas com vinagre’. Os mais perigosos não espantam a ‘presa’, eles são doces como mel, fazem um trabalho de base, observando todos os pontos de fragilidade natural da ‘caça’, observa cada detalhe, seus temores e seus sonhos, usa isto para enaltecer, fazer ter desejos e sonhos e depois que conquistou a confiança absoluta, vai começar seu trabalho de desconstrução, fazendo a pessoa aos poucos se achar dependente total de seu ‘dono’, fazendo ela se sentir feia, incapaz, incompetente.   Até que tendo poder absoluto, ele começa a destruir tudo o mais, terminando muitas vezes no óbito.  
   É aí que a mídia se interessa, ela só observa e divulga as coisas negativas, não fala nunca da maioria dos praticantes, aqueles sadomasoquistas eróticos, sem exageros, que fazem do BDSM uma ferramenta para ampliar o prazer sexual, se servindo dele e não sendo escravo do BDSM; alguns o são.
   Por isto fico sempre com o pé atrás sobre liturgias exacerbadas, regras impostas, pessoas se achando no direito de serem tratadas de Senhor(a), Mestre(a), Dom(me), Lord (Lady), Rei (Rainha)...   Isto é uma exigência que o Top só pode fazer a seu botton, não aos outros, porque até que ele tenha estabelecido uma relação de D/s, o outro, seja ele submisso ou não, é apenas um cidadão ou cidadã que ele conhece que pode pretender ou não vir a ‘possuir’, nada além, de modo que deve respeito e tratamento normal a esta pessoa. 
   Corro de pessoas exageradas, o exagero é um péssimo indício, todo fanatismo é doentio, dentro ou fora do BDSM. Portanto o que tenho a dizer, é que observem sempre e muito antes de se envolverem, antes de confiar,    Poder ter a confiança de alguém é um privilégio que nem todos merecem.
   Confiança é árdua de se conseguir e extremamente  fácil de se perder.   A base para ser confiável, é sempre falar a verdade, mesmo que tenha que pagar por ela, o preço será sempre compensador.

Esta é a minha opinião;
Dorei

Obs.: Separei várias fotos, mas decidi não por, não quero manchar meu blog com imagens dantescas.  

07 abril, 2011

Lei Maria da Penha e BDSM

Lei Maria da Penha e BDSM





É importante fazer saber, que BDSM é muito diferente de violênica física, psicológica ou moral, que chantagem é crime também, que a mulher submissa/escrava precisa voltar pra casa se sentindo feliz, amada, protegida e cuidada.   Todas as marcas que fiquem em seu corpo, devem ser desejadas por ela e sua imagem no meio em que vive(familiar e social), deve ser preservada, que se ela não está sentindo-se bem com isto, deve repensar o que está vivendo.   Sadomasoquismo é muito forte, deve ser vivido por pessoas maduras, conscientes de seus desejos e direitos e principalmente sãs, que qualquer coisa que não seja Consensual, é crime e que a lei ampara a mulher, ela só não deve se calar.
   A mulher que vive uma relação de D/s, não tem e não deve ser alienada, não deve ter sua personalidade anulada enquanto pessoa; antes ela precisa se conhecer, para melhor servir, saber que devemos nos servir do sadomasoquismo para fazer a vida mais feliz e não virar escravos de uma ditadura liturgica e caduca imposta por desconhecidos.   Cada relação de D/s faz suas próprias regras, sem que para isto a pessoa seja oprimida em sua essência, negando-se a própria satisfação apenas pela satisfação do outro, ainda que este outro seja o Top. A vida é uma eterna troca; a D/s não é diferente, onde um sente prazer em dominar e o outro sente prazer em ser submetido, se não for assim, não é sadio e muitas vezes é ilícito, também não estou aqui a ditar regras, apenas dando a minha visão do assunto, que espero seja de utilidade a muitos.

Dorei Fobofílica.





Resumo de Pontos Importantes  da Lei 11.340 (Maria da Penha)

PONTOS IMPORTANTES





1. Se aplica à violência doméstica que cause morte, lesão, sofrimento físico (violência física), sexual (violência sexual), psicológico (violência psicológica), e dano moral (violência moral) ou patrimonial (violência patrimonial);

1.1.No âmbito da unidade doméstica, onde haja o convívio de pessoas, com ou sem vínculo familiar, inclusive as esporadicamente agregadas;

1.2.No âmbito da família, formada por indivíduos que são ou se consideram aparentados, unidos por laços naturais, por afinidade ou por vontade expressa.

1.3.Em qualquer relação íntima de afeto, na qual o agressor conviva ou tenha convivido com a ofendida, independentemente de coabitação;

2. Se aplica também às relações homossexuais (lésbicas);

3. A ofendida não poderá entregar intimação ou notificação ao agressor;

4.Quando a agressão praticada for de pessoa estranha, como por exemplo vizinho, prestador de serviço ou médico, continuam os velhos  TERMOS CIRCUNSTANCIADOS;

5. Garantir proteção policial, quando necessário, comunicando de imediato ao Ministério Público e ao Poder Judiciário;

6.Informar à ofendida os direitos a ela conferidos;

7. Feito o registro da ocorrência, deverá a autoridade, de imediato:

7.1. Ouvir a ofendida, lavrar o boletim de ocorrência e tomar arepresentação a termo, se apresentada;
7.2. Colher todas as provas que servirem para o esclarecimento do fato;
7.3. Remeter no prazo de 48 horas expediente apartado ao juiz com o pedido da ofendida, para a concessão de medidas protetivas;
7.4. Expedir guia de exame de corpo de delito e exames periciais;
7.5. Ouvir o agressor e testemunhas;
7.6. Ordenar a identificação do agressor e juntar aos autos sua folha de antecedentes;

8. O pedido da ofendida deverá conter: qualificação da ofendida e do agressor, nome e idade dos dependentes, descrição sucinta do fato e das medidas protetivas solicitadas pela ofendida, e cópia de todos os documentos disponíveis em posse da ofendida;








02 abril, 2011

Dominação Psicológica


Dominação Psicológica

   A dominação  psicológica é a base do BDSM, pois sem ela a cena vira mero teatro, mas a verdadeira dominação psicológica é algo que demanda tempo e dedicação, quanto mais conhecimento da parte dominada e mais tempo dedicado mais eficiente é a dominação.

   Quem está dominando deve ser atencioso, responsável, estar ciente de que é preciso dedicar tempo da sua vida diária a parte dominada, que claramente se torna dependente de atenção, de cuidados, de constância, sob pena de sofrer seqüelas ou de a parte dominante perder o controle, o que uma vez acontecido pode ser irreversível.

   A parte dominada sente imenso prazer quando a coisa é feita com responsabilidade, quando há dedicação, interesse da parte que controla, a entrega costuma ser muito prazerosa.
   Dominar exige muito do Dominador, alguns  tratam isto com irresponsabilidade, deixando de atentar para a vida e interesses do submetido sem o menor cuidado, sem pensar que isto pode deixar marcas e mágoas.  

   A parte submetida pode ser forte e independente, inteligente e altiva em sua vida comum, mas dentro dela criou-se um estado de dependência inegável, que se não fosse assim, não estaria sob domínio coisa nenhuma e o abandono do cuidado é  muito nocivo se não for feito corretamente.

   Não posso deixar de falar aqui, é claro, dos dominadores patológicos, sociopatas, que dominam por estar em sua natureza, mas o fazem de forma errada e por razões escusas, eles induzem e invadem todos os aspectos da vida do subjugado e este subjugado não tem que ser necessariamente uma pessoa do meio sadomasoquista, pode ser uma pessoa baunilha, desde que atenda seus interesses, primeiro começam enaltecendo algumas qualidades, com o tempo; e já com a dependência estabelecida, ela vai se arraigando, assumindo outros aspectos da vida da pessoa, como o financeiro por exemplo, na verdade ele vai invadir todos os aspectos possíveis, e fazer o submetido achar que não tem valor e que a atenção que o dominante lhe dá é um presente não merecido.   É importante saber que sociopatas são sempre inteligentes e educados até obterem o que lhes interessa e não sentem remorso do que fazem, antes acham natural.

   Ele acaba com a auto estima da pessoa.   Pode parecer aqui que a pessoa foi fraca, mas submissão está na natureza de alguns, assim como dominação, a forma como isto é feito é que é o diferencial, não é da noite para o dia que isto acontece, lógico.
   Alguns indivíduos dominantes sociopatas, se aliam numa relação matrimonial ou que o valha, para dominar ainda mais e em tudo, induzindo a pessoa a se destruir gradativamente, chegando a vir ao óbito que pode ser o que o interessa, com o intuito muitas vezes de tornar-se beneficiário de algum patrimônio ou algo que o valha.
   Infelizmente não é incomum e não estou longe de conhecer gente assim.   Mas são inteligentes, não deixam meios de que se prove o que foi feito e como são sociopatas, não se importam de ostentar uma ‘riqueza’ obtida da forma mais sórdida possível, as vezes se tornando pensionista de grandes quantias por serem cônjuges.  
   Dentro do sadomasoquismo isto se torna uma arma potencial.  

  O sujeito entra no chat e observa as curiosas, passíveis de serem controladas mais facilmente, por serem novatas, às vezes se aliam a outro doente e dominador como ele e isto independe de sexo, quando agem em dupla tornam-se ainda mais nocivos.  Do chat eles as atraem para encontros reais e se a pessoa tem algo que lhes interessa começa então um trabalho de controle gradual e crescente.
   Existem também aqueles que pensam que são dominadores, que não sabem que não se apanha mosca com vinagre, desconhecem o convite sutil que a aranha faz a mosca dizendo: entre minha querida, a ‘casa’  é toda tua, entre e fique a vontade.   Eles começam a abordagem da forma mais grosseira possível, demonstrando sua total falta de talento e conhecimento.

   Felizmente existem os Dominadores responsáveis, cuidadosos, atentos, dedicados, cientes do quanto é sério o que se propuseram  a fazer e não se furtam da parte que lhes cabe no jogo da Dominação Psicológica.


Por Dorei Fobofílica.  

Seguidores

AVISO:

As imagens contidas neste blog foram tiradas de sites de busca, estando disponíveis livremente na rede, sem fazer referencia aos autores. Entretamto sem o intuito de usar material de terceiros indevidamente, digo que, caso voce seja autor de alguma delas e deseje que a retire, deixe um comentário e a retirarei ou colocarei os devidos créditos se for da tua vontade.

Atenciosamente;
Dorei Fobofílica.