Slides e Links de Todas as postagens

20 fevereiro, 2011

Liturgia BDSM



Liturgia BDSM

   Primeiro vamos rever o que quer dizer o acrónimo BDSM.
BD= Bondage/disciplina. (Bondage é a retenção do indivíduo por meio de cordas, algemas, mordaça, etc..)
DS= Dominação/submissão.
SM= Sadismo/masoquismo.  (Sadismo visando aumentar o prazer sexual e não na busca de ver o outro sofrer, ou seja, CONSENSUAL)

   De certa forma em tudo na vida há uma espécie de liturgia que se forma quase sempre com naturalidade, claro que muitas outras são implantadas, como é o caso dos quartéis.   Mas é exatamente isto, cada lugar tem o seu rítmo e suas regras.    Por que razão um meio onde o CONSENSUAL é uma das três bases fundamentais do BDSM, tem que haver imposição?    Respeito se conquista, não se impõe e uma submissa deve-o a seu Dono, são as liturgias Dele que ela deve seguir, é a Ele que ela deve respeito e é a Ele que ela deve tratar por Senhor.   Claro que quando vou a padaria chamo o senhor Manoel de senhor, como a qualquer pessoa mais idosa que eu, isto é uma questão de educação, mas fora isto vai ser muito difícil que eu o faça.
   Pensando nos atores de novelas, cinemas e afins, vejo que cenas dão prazer imenso a quem faz, gostamos de assistir também, são cenas pré definidas, mas penso que no BDSM isto engessa a coisa que perde o encanto, ao menos para mim e sei que não estou sozinha, sei também que é prazeroso para outros, afinal muitos tem uma veia artística.
   Existem muitos que gostam de liturgias e rituais e penso que estes devem ser respeitados, quem quer respeito deve respeitar os outros.   É exatamente por isto que imposição de liturgia não cabe, não posso aceitar que alguém que não seja meu Dono exija de mim que o trate por Senhor, Senhor eu só tenho dois, um é Jesus e o outro é meu Dono, qualquer outro é apenas alguém com afinade ao sadomasoquismo como eu, que merece o mesmo respeito que dispenso a qualquer ser humano e ponto final.   Também para isto existe o CONSENSUAL, se não estou em consenso não há o que ser exigido.   Porém é recorrente que pessoas sem noção que fazem exigencias a quem acabou de conhecer, o que não faltam são pessoas pedantes no meio que acham que agindo com arrogancia se posicionarão, isto porque existem as alienadas que colaboram com este tipo de comportamento, que chaman a qualquer um que se diga Dom, Mestre ou afins, de Senhor; é vamos combinar, a expressão “Dono de mim” é um erro ortografico muito ridículo, não é por que eu digo ‘meu Dono’ que Ele seja meu e não o contrário, no trabalho dizemos ‘meu chefe’, e nem por isto estamos no comando, a palavra Chefe, Mestre ou Dono, dispensa esclarecimentos.
   Quando vou ler um texto sobre liturgia em algum site BDSM, geralmente começam assim:
   “A liturgia do BDSM envolve todo um ritual, um comportamento entre Top e Bottom, preparação de cenas, ritos de posse e entrega...”  
    Eu me pergunto.   Não é como um ator ou diretor preparando a cena?   Claro que existem coisas que a gente faz, que acontecem entre o Dono e a submissa, mas que diferenciam de acordo com cada par, contudo eu não gostaria de encenar, gosto da diversidade que Ele me proporciona a cada encontro e o comportamento de Dominador e submissa sai espontâneamente.   Sou feliz assim, mas respeito quem gosta de liturgias, até gostaria de assistir (adoro ir ao teatro), mas o respeito que dou também exijo.   Para mim o grande defeito em quem é praticante de liturgias, com exceções é claro, são aqueles que querem impor a terceiros os seus ritos.
   A exemplo de outros países, como na América do Norte e na Europa, há quem pense em criar um cabedal a ser seguido, mas o Brasil é um país atípico e o BDSM dentro dele não poderia ser diferente, somos muito passionais para nos adequarmos ao BDSM de fora, como com tudo o que recebemos de países estrangeiros, colocamos o nosso tempero, o nosso jeito, o nosso calor, os nossos sentimentos passionais, por isto é inútil a criação de um conjunto de normas, a nossa diversidade é muito grande.
   Não estou dizendo aqui que eu não siga a uma liturgia, mas a que sigo é determinada pelo meu Dono e dirigida exclusivamente a Ele, não é engessada, sai espontâneamente, foi sendo implantada paulatinamente, sem que eu me desse conta, não me foi dada uma cartilha de normas a serem seguidas, elas foram sendo colocadas na nossa relação com muita naturalidade, cada detalhe acrescido suavemente, de maneira que é uma realação rica, plena, verdadeira, natural, com respeito e amor.  
   Aos devotos da liturgia pré moldada do BDSM e aos aversos a ela, minhas saudações!
  
Por : Dorei.

P.S.: Esta é a minha opinião.

14 comentários:

submissa flor de cristal{LB} disse...

Au!au!au! Oi Dorei, olha eu aqui entre uma pausa e outra da minha tarefa. Mas tudo que se refere ao BDSM saio feito cadela louca correndo nas 4 patinhas para saber o que está acontecendo.E com vc não poderia ser diferente.

Foi curioso pq eu a Luz das Estrelas, minha amiga de longas datas dentro e fora dos murros BDSM, estavamos comentando exactamente isso. Eu dizia que a trilha que o Lord Byron me convidou a conhecer esta me deixando com a convicção que não temos e nem devemos seguir qualquer cartilha para se viver o BDSM.(e que bom descobrir isso!!) Que o que importa no final e os desejos realizados. Que existem muitos caminhos com regras ou sem e que cada um vive de acordo com suas vontades. ((Mas com responsabilidades, quero deixar isso bem claro!!))

Nós duas, Estrelinha e eu, comentávamos que as coisas devem fluir de acordo com SSC, ou seja São, Seguro e Consensual. E que tanto D/s devem se sentir confortável para uma aceitação ou não de acordo com os dois. Não quero aqui desmerecer quem segue todas as Liturgias do BDSM, aplaudo quem assim o faz. E como eu não tenho vocação para atriz me reservo no direito de viver o BDSM de acordo com as minhas convicções e as convicções de quem me guia, o Senhor Lord Byron. :))

Convido vc Dorei, e aos seus queridos amigos/amigas, a conhecer minha amiga e confidente Luz das Estrelas.
http://luzdasestrelas01.blogspot.com

Vc é meu ídolo, quando vejo que tem post novo venho correndo pq certeza que algo bom e útil vamos ler por aqui.

Beijo grande benzinho, ótimo início de semana para vc e a todos que o cerca!

Saudações SM a todos!

flor de cristal{LB} .

► JOTA ENE ◄ disse...

ººº
Mais uma vez gostei de passar aqui, desejar-te um otimo domingo ...

Bjoooo!

Erótica.plus disse...

Ow nega linda!! Adoro tua personalidade, mulher! E quanto a diversidade, vc bem sabe que tem um dono, que é dono...rsrs.... de uma imaginação sexualmente maravilhosa! Acredito que és uma sortuda, pois ele está sempre buscando te surpreender. Teus textos são sempre muito educativos e no que se refere a BDSM é um dos melhores blogs para ser lido em especial por aqueles que buscam entender melhor tal prática. bjs minha linda. Te adoro.

princess kitty disse...

Oi minha linda!

Depois eu venho comentar esse post com calma, é que você sabe como meus comments são "curtinhos" rsrs, já viu, né?
Vim avisar que tem um presente pra você no meu miaublog. Miaubeijocas =^.^=

Luna disse...

Dorei,

primeiro quero agradecer o Selo. Que lindo! Já estou levando...

Seu post explica muita coisa. Adorei. Mas penso que cada pessoa deve ser livre para escolher e fazer o seu caminho.
Sou nova nesse universo D/S e estou aberta a todas às informações.
E gosto de todas as formas, seja em um contexto ritualístico que acho mais excitante, seja de uma forma mais natural e espontânea, penso que o bom mesmo é estarmos com quem amamos e a quem desejamos com toda nossa alma.

Beijos super carinhosos!

Muito obrigada por ter se lembrado de mim!

Luna

{ÍsisdoEgito}JZ - Tua, somente tua disse...

Dorei querida,

acho válido a existencia de liturgia e de rituais, que sirvam de base para Dominadores e submissas. Porém, se isso passa a ser imposto e condição sine qua non para ser um BDSMista real, ai ja são outros 500.

Meu Dono, Senhor JUN ZURIK, segue algumas regras do BDSM, porém outras e diria, muitas delas, ELE as dispensa, porque não esta de acordo e nem atende às necessidades, com e do que ELE deseja para ELE próprio e sua cadela/submissa/escrava.
Nossa relação D/s e SM, flui maravilhosamente bem, obrigada, sem que fiquemos à luz do que alguns acham certo e que portanto, tem que servir à todos.

Desculpe, cada um é cada um, o prazer de um não é necessariamente, igual ao prazer do outro.
Querer que todos aceitem a liturgia tal qual como é, ou dizem que dever ser, é tolice e abuso.

Boa postagem e tema Dorei, parabéns.

Beijos carinhosos,
ÍsisdoJUN

~^~ Lena Lopez ~^~ disse...

Oi Dorei!
Olha eu novamente metendo o bedelho!
Concordo plenamente com as tuas colocações.
Segundo lembro e li, François de Sade, sendo ele um dos, senão o maior adepto do SM, não marcou as cartas em suas relações interpessoais, não fez delas uma encenação pura e simples e demonstrou que o foco do sentimento sádico é a excitação que deriva da "subjugação" do parceiro, na outra ponta Kraft Ebbing, descreveu o sentimento masoquista, como uma busca do prazer pelo sofrimento do corpo e mental, os quais denotam em sensação de inferioridade.
Querer impor uma classe superior e outra inferior no meio, é extrapolar os limites das relações pessoais. Como você mesma disse, em qualquer circunstância da vida, deve-se subordinação aos nossos superiores hierárquicos e não aos superiores de outrens, se há uma relaçãos com os segundos, ela passa a se chamar respeito e bom senso. Não será por que alguém é chefe de produção que pode exigir subordinação dos funcionários do departamento pessoal, o que estes lhe devem é cooperação, respeito e interesse. Se ao contrário for, estaremos entrando no sistemas de castas, com classes superiores e inferiores, e isso não se relaciona somente ao BDSM, mas à vida no dia a dia.
BJOS
Lena

Amor...SEdução...Prazer disse...

MEUS APLAUSOS A TI MINHA LINDA......
FAÇO DAS MINHAS PALAVRAS AS TUAS
UM BJU E UM XERO
ANNE

Angelike Diabolike disse...

Peerfeito, adorei o que escreveu.
Ainda estou "sentindo" este mundinho, não tomei minha decisão ainda, mas creio que se for para ter um dono, ele será único e exclusivo, e ele, somente ele, será chamando de Senhor. Dom de outras subs, não são meus donos e por isso não devo a eles nada mais que o respeito que presto a qualquer outra pessoa, como manda a educação.
Se algum outro Dom achar que por ser sub tenho que baixar a cabeça a eles, vão morrer secos. :D
Beijos de uma Futura sub rebelde.

princess kitty disse...

Olá Dorei linda!

Finalmente consegui vir aqui comentar rsrs

Nossa, nós já conversamos e realmente temos uma forma bem parecida de viver o BDSM. Eu tbm só chamo ao meu Mestre de Sr, os outros Dominadores trato com respeito, mas não chamo de Sr, a não ser que ele tenha a palavra "Sr" no nick, daí não tem como rsrs.
Chamo meu Mestre de Sr porque me dá prazer. Ele nunca obrigou ninguém a chama-lo assim, como Ele mesmo diz, é merecimento.

Assim como tbm acho um absurdo aqueles Dons que nunca conversaram com você e chegam te chamando de "cadela", Nunca tolerei isso, se recebia algum recado assim no meu antigo orkut e msn bloqueava a pessoa na hora. Tem que ter educação em primeiro lugar.

Quanto a liturgia, acho que depende de cada relação, em alguns momentos acho lindo ver algum ritual. Mas eu como você sou espontânea, não sei seguir um texto, procuro sempre ser eu mesma. Eu não me rebelo só fazendo manha e dizendo que não. Eu efetivamente luto contra, rsrs.

E não é porque chamamos o Dono de "meu" que ele passa a ser nosso, é como você tão sabiamente colocou. Lembro que uma das primeiras coisas que perguntei ao meu Mestre foi isso, via escrito nos perfis BDSM "Dono de mim" e não entendia o porque do homicídio com a lingua portuguesa. Ele então me explicou que tinha um fundamento , que a sub teoricamente é que pertence ao Dono e não ao contrário, por isso colocavam daquela forma. Que Ele tbm achava muito feio mas que cada um deve usar a forma que mais o agrada. E voltamos ao velho ponto...

Todas experiências são válidas desde que traga prazer e seja feita na consensualidade.

Acho válido o tema que levantou, não podemos obrigar ou esperar um tipo de comportamentos pré determinados, porque é o que se espera de nós. Devemos tratar as pessoas com respeito e educação, seja ela top ou bottom em qualquer ambiente e pronto. Os pronomes de tratamento devem ser aqueles com quem as pessoas se sintam mais a vontade.

A mesma coisa sobre as despedidas, vejo muitas "saudações", "beijos respeitosos", etc, eu respeito e acho bacana esse tratamento. Mas eu não consigo dizer, quando vou me despedir de alguem no blog, msn ou um comment, vejo a pessoa como alguem querido (a) para mim e só consigo mandar "miaubeijos" rsrs, meu Mestre não se importa com esse meu comportamento sabe que é meu jeito e pronto, isso não o desrespeita em nada.

Enfim, é a minha opinião, que como a sua e tantas outras são válidas, cada um segue o que é melhor para si e pronto, eu tentei muito me "encaixar" no BDSM, hoje em dia, sou apenas eu mesma e procuro fazer o que faz feliz a mim e ao meu Mestre.

Miaubeijocas, minha linda, ah vendo seu perfil descobri que temos o mesmo signo tbm rsrs

Mais miaubeijos =^.^=

aldrey disse...

Oi querida,obrigada pelo selo ,mas já tinha sido presentiada,mas mesmo assim estou feliz...bjs

Arigi Kuwanna disse...

Olá Dorei, como está?
nossa adorei teu texto, explica muito e mais uma vez, só posso concordar com vc, uma relação, seja ela qual for, só pode dar certo se há cumplicidade e companheirismo de ambas as partes, textos formados e editados são para atores, àqueles q gostam de segui-los, eu particularmente não gosto, gosto de ser livre, de ter escolhas e opções!
ah q alegria saber q está gostando da história, a parte final vem aí essa semana!
Bjos se cuida e tenha uma linda semana.

Srta. Depravada disse...

Dorei,

não sou adepta ao BDSM, mas adoro ser submissa,ser amarrada e levar uns corretivos de quando em vez.
Achei muito esclarecedor teu texto e me abriu uma nova percepção sobre o tema.
E só para concluir e ser bem direta eu creio que toda forma de amor e sexo é bem vinda desde que seja consensual.

Te mandei um convite no msn,rsrsrrs..


Beijocas doces para ti!!!

Marcelle Silva disse...

Acho interessante percebermos que em tudo na vida, há uma certa performance nos gestos, mesmo que eles não sigam cartilhas como "meu mestre mandou...". Agimos em qualquer situação significando nossas ações, nossas técnicas corporais, e isso é maravilhoso. Realmente, estar preso a um número de regras quando vc quer simplesmente seguir a imaginação não é nada interessante. Interessante é seguirmos nossos instintos, e reescrevermos nossas histórias.

Gostei muito do post, me fez pensar muito sobre.

Beeeeijos

Seguidores

AVISO:

As imagens contidas neste blog foram tiradas de sites de busca, estando disponíveis livremente na rede, sem fazer referencia aos autores. Entretamto sem o intuito de usar material de terceiros indevidamente, digo que, caso voce seja autor de alguma delas e deseje que a retire, deixe um comentário e a retirarei ou colocarei os devidos créditos se for da tua vontade.

Atenciosamente;
Dorei Fobofílica.