VISITE brinquedos diversos

29 outubro, 2010

DOREI - SHIBARI - BONDAGE







SHIBARI
arte japonesa
dominação erótica




 Devido às mudanças sócio-cultariais ocorridas no Japão no Período Edo (1603 – 1867), o papel dos samurais profissionais deixou de ser relevante e estes, sem ter o que fazer, passavam o tempo bebendo, jogando e fazendo sexo.   Enfastiados com esta rotina errante, passaram a perverter as praticas sexuais, imobilizando consensualmente suas parceiras com cordas.   Em 1908, o japonês Ito Seiu ao estudar gravuras e textos literários que abordavam essas práticas sexuais decadentes, resolveu metabolizar e regulamentá-las, criando, assim, a Shibari (verbo da língua japonesa que significa “amarrar”): técnica de imobilização de parceiras (os) sexuais para finalidades erótica.
   Segindo as regras instituídas por Ito, a pratica da shibari requer uso de cordas de fibras de cânhamo que variam de 6 a 8 mm e, principalmente, o consentimento daquela (o) que é amarrada (o).   Portanto, deve ser prazeroso tanto para o “líder” (aquele que amarra) como para o “subjugado” (aquele que é amarrado), onde a domnação é apenas simbólica.   Nos anos 60 os ocidentais começaram a conhecer a shibari através de fotos e revistas japonesas (a internet ainda não existia) e, impressionados com seu forte apelo erótico, incorporaram-se ao universo da bondage (servidão ou escravidão, em inglês), onde até então só se usavam algemas, correntes, grilhões e outros apetrechos metálicos.

   No Japão, é comum ocorrerem performances de shibari direcionados para adultos, praticantes ou não onde o público pode interagir com o mestre, ou seja, pessoas voluntárias podem ser amarradas artisticamente, se assim quiserem.

  

A profissional que faz o papel de “subjugada” nas performances dos mestres é chamada de dorei (escrava ou serviçal em japonês) e, como atriz dramática que é, simula uma servidão imaginária ao mestre, despertando fantasias eróticas na platéia masculina.

   Deve ser ressaltado que a shibari  tem a finalidade de imobilização consentida de parceiras (os) com cordas para “aquecer a temperatura” antes do ato sexual, caracterizando-se, assim, como uma mera “brincadeira à dois de adultos”, contrastando com a bondage que, por ser baseada nos métodos de tortura praticados pelos agentes da Inquisição na Europa Medieval cristã, com a finalidade de obter confissões de paganismo e praticas anti-cristãs (bruxaria), prega que o dominador aplique um castigo físico leve (chicotadas, tapas, etc) e mental (medo psicológico por estar vendado e/ou amordaçado) o dominado para, assim, obter o prazer idealizado pelo Marques de Sade.




Dorei

(Do japonês: “Dorei”. Tradução aproximada: escrava).  Nome dado à mulher submetida ao Shibari (Ver: Shibari).

Praticante passiva de Shibari.

2 comentários:

IVAN❤ⓛⓞⓥⓔ♀ disse...

ADORO SEU BLOG E SUAS FOTOS,
VISITE MEU:
http://ivandevalencia2.blogspot.com
ACEITA PARCERIA?
BEIJOS...

Marcelle Silva disse...

Poxa, eu me perguntei o pq do teu nick, agora tudo ficou claro!hehe

To adorando ler teu blog. Lendo postagem por postagem!

Beeeeijos

AVISO:

As imagens contidas neste blog foram tiradas de sites de busca, estando disponíveis livremente na rede, sem fazer referencia aos autores. Entretamto sem o intuito de usar material de terceiros indevidamente, digo que, caso voce seja autor de alguma delas e deseje que a retire, deixe um comentário e a retirarei ou colocarei os devidos créditos se for da tua vontade.

Atenciosamente;
Dorei Fobofílica.

Seguidores

Leio e Indico

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...