08 julho, 2017

O BDSM e o MEDO – Visão do DOM





O medo é uma constante entre as curiosas e iniciantes no BDSM.

Já ouvi frase como “tenho medo, acho que não nasci para isso”, ou “tenho medo, não sei o que pode acontecer”, ou ainda, “tenho medo de me entregar a um maluco”…

Acho que é preciso, antes de mais nada, saber o que é o medo, porque ele surge?

O Medo é mais que um sentimento, é um instinto ancestral que acompanha a raça humana desde os homens das cavernas, talvez seja anterior a isso, deve ter estado presente nos primatas que nos antecederam…

Mas o medo não é ruim, provavelmente foi o medo que nos fez evoluir, foi o medo que fez com que os macacos descessem das árvores e procurassem abrigo nas cavernas, foi o medo que fez com que os primeiros homens criassem armas para se defender de feras maiores e se defender da fome, tornando as caçadas mais efetivas…


Foi o medo que fez o homem deixar seu individualismo e criassem as primeiras comunidades, para se defender melhor…

Foi o medo da fome que fez com que os homens começassem a domesticar animais e cultivar alimentos, o que fez com que os homens se fixassem e daí se iniciou a sociedade que evolui até o estágio atual…

Mas o medo não é sempre bom, é o medo que inicia a maior parte da guerra, é o medo que cria bombas nucleares, é o medo que faz com que nos tranquemos em casa ao invés de trancarmos os bandidos, é o medo que permite que o mal prevaleça…

O medo é incutido desde cedo, como uma forma de controle dos pais,”Não faça isso se não o homem do saco te pega” (frase preferida de uma amiga baunilha para a filha de 4 anos…), não vai na rua que vai ser atropelada, não, não, não, não…

O medo é o não de nossa vida. Não tenha prazer, pois se ficar sem ele você sofrerá (e sofra por antecipação). Não confie que não será decepciona, Não ame e não sofrerá por amor…

Não viva, e você não morrerá…

O medo é um mecanismo importante no ser humano, é um alerta, quando aparece devemos prestar atenção, mas não podemos deixar de viver por ele, não podemos deixar de ser felizes por ele…

Mas o medo da sub de se entregar a alguém que controle a sua vida, que controle sua vontade, que controle seu corpo, não é um medo justificado? E se o Dom for um maluco sem limites?

Nunca disse que o medo não é justificado, nem disse que uma sub não deve ter medo…

O mundo baunilha tem seus problemas e seus medos, mas é uma zona de conforto, uma Zona conhecida, com riscos pequenos.

A pergunta é: essa zona de conforto te satisfaz? Você é feliz dentro dela? Se a resposta for sim, esqueça o BDSM, arrume um namorado/marido/amante baunilha e peça para que ele te de uns tapas fortes na bunda na hora do sexo, e que te chame de vadia, de puta de vagabunda e seja feliz…

Se isso não te satisfaz, você precisa sair da zona de conforto, mas não esqueça seu medo, use-o…

Existe sim, o risco de cair nas mãos de um maluco, mas esse risco também existe no mundo baunilha, a maioria dos sequestradores, serial killers, malandros que dão golpes em mulheres apaixonadas não são do mundo BDSM, são baunilhas…

Se um Dom não cumpre o acordo negociado, não respeita seus limites, agiria da mesma forma no mundo baunilha, pois lá também existe um acordo de limites, só que esse acordo não é negociado, é um ”contrato de adesão” com regras e limites estabelecidos por lei e pela sociedade…

No BDSM ou no mundo Baunilha a regra a ser seguida é a mesma: Conheça as pessoas com quem se relaciona, e não falo em conhecer fisicamente, em ver fotos, cam, etc., isso não é conhecer (novamente a maioria dos serial killers tem aparência agradável, são simpáticos ou não conseguiriam envolver suas vítimas)…

Falo em conhecer intimamente, converse, faça uma avaliação e seja avaliada…

Mas acima de tudo conheça uma pessoa fundamental em sua entrega a um Dono, conheça você mesma, conheça seus limites e a falta deles, conheça seus desejos, conheça seus medos…

Somente se conhecendo você terá capacidade de reconhecer a compatibilidade entre você e seu futuro Dono, e se entregar, com medo sim, mas com coragem…

Coragem não é a ausência de medos, coragem é a força de reconhecer seus medos e seguir em frente, a ausência de medo é maluquice…

Permita-se ser feliz, apesar do medo.



Seguidores

AVISO:

As imagens contidas neste blog foram tiradas de sites de busca, estando disponíveis livremente na rede, sem fazer referencia aos autores. Entretamto sem o intuito de usar material de terceiros indevidamente, digo que, caso voce seja autor de alguma delas e deseje que a retire, deixe um comentário e a retirarei ou colocarei os devidos créditos se for da tua vontade.

Atenciosamente;
Dorei Fobofílica.

Leio e Indico